14/05/2010

mais um escrito de amor cinza ou branco ( como bem preferir)

 o vento leva todas palavras para bem longe e você se encontra nesse mar de vazios constantes, ali é sua morada, um eco ensurdecedor e  suas mãos geladas pelo inverno prestes a chegar, se cubra, mas ela não ouviu, enquanto isso levou sua casa para o deserto, lá ficou sem perspectiva alguma de um amanhã, buscando o final de suas reticências, é muita sede que sente e sua ausência quase palpável em forma de areia. mais um escrito de amor, afinal este sentimento não há segurança de ser inteiramente feliz.

há beleza nisso tudo, há.

4 comentários:

Gabriela Gonçalves disse...

Incrível que, por mais que o vento leve todas as palavras para bem longe, ele não consegue apagá-las.
Talvez esse seja o grande problema do vento e das palavras.

Bia disse...

E Borati e seus textos 'continuam lindos', haha.

Adoravel sempre.
Estou voltando aos poucos.
O caminhão de mudança se perdeu de mim, : )

Saudades de ler-te.

Aninha Ehlers disse...

Certamente há beleza em tudo isso, mesmo que não se seja inteiramente feliz, simplesmente senti-lo já nos engrandece, não é isso?

Adorei

Carolina Veríssimo disse...

tenho um amigo que diz senhora ta no céu e dona ta na zona. não to nem em um e nem no outro lugar. Carol ta de bom tamanho. abraços