09/05/2010

sonhos de uma tarde ( ou domingo em silêncio)

se perdeu entre móveis e silêncio, aterrisou no vazio sem escapatória e encarou o domingo como fosse uma formiga. o dia era enorme e seu mundo pequeno dentro de um quarto, as folhas jogadas no chão, o copo de  café sem açúcar deixado bem de lado, quase longe de seu alcance, se foi, dormiu para encontrar nos sonhos sua realidade, a mulher a esperava com seu velho buquê de rosas mortas pelo tempo que se passou.

acordou e o domingo não acabou.

2 comentários:

Sheila disse...

"acordou e o domingo não acabou"

O domingo não acaba mesmo! Nunca! rs

Ludmila Barbosa disse...

Adoro descobrir novos blogs que tenham realmente conteúdo, o seu definitivamente é um desses, li um, dois, três posts e me perdi lendo quase o blog inteiro. Muito bom mesmo!!!