12/06/2010

Autoentrevista (?)

Como hoje faz um ano de blog, aqui deixo um presente inusitado:





borati- Primeiramente, uma pergunta básica: como vai? segunda: como surgiu essa ideia que estamos tendo nesse momento?


r.b.- Ah, eu vou bem, muito! Que coincidência isso entre nós, não? Vamos a segunda pergunta que parece um pouco mais interessante...Bem, a ideia de uma autoentrevista vem por várias necessidades, as vezes alguém pode achar banal ou legal, mas como meu blog está fazendo um ano e cada dia me surpreendendo mais com o grande acesso, acabei tendo essa ideia para as pessoas me conhecerem um pouco mais. Também tem o fato de uma autoentrevista ser importante para me conhecer mais, saber coisas em mim
que não imaginava, é um ótimo excercício de autoconhecimento, recomendo.

 

borati- Engraçado vir isso de alguém que não importa com os comentários feitos em seu blog...


r.b.- Olha a provocação! Jamais deixei de dar importância para os comentários feitos, o que acontece são as interpretações, o que escrevo ali é de livre interpretação, a pessoa pode pensar o que ela definitivamente quiser, isso que primo, vejo que as palavras tem muita força, mais do que imaginamos e assim uma asa enorme para as pessoas embarcarem. Eu não importo se aquilo é de acordo com o que estou vivendo ou não, as pessoas vão lá e tirem as conclusões.


borati- Mas chegou um tempo que isso lhe incomodou, das pessoas acharem seus escritos de acordo com o que está vivendo...É verdade?


r.b.-Sim, é bem verdade. teve um tempo que isso me incomodou muito, algumas pessoas diziam, interpretavam e até jogaram pedras porque eu escrevi tal coisa, algumas vestiam a carapuça mesmo, ficava puto porque aquilo são escritos, se é pessoal ou não, pouco importa, está ali porque  quero escrever, porque sinto necessidade de jogar as palavras e assim torna- las vivas, simples. Hoje em dia não me incomoda nem um pouco, é livre interpretação, o que realmente quis dizer com aquilo eu deixo para mim, se alguém se doer com aquilo, não posso fazer nada. o meu compromisso é com a palavra, se é que realmente eu tenha algum. engraçado que já vieram pessoas perguntando se estava triste, amargurado, apaixonado,depressivo, hoje eu me divirto demais com isso, dou risada.


borati- Falando nessa coisa de compromisso, escrito...Como isso começou?


r.b.- Desde pequeno eu gostava de escrever, morei em paraty dos cinco aos dez anos, foram os melhores momentos da minha vida, lá eu brinquei na rua, jogava bola descalço, soltava pipa, jogava botão e bolinha de gude, andava de bicicleta pra lá e pra cá e também escrevia! não há nada guardado naquela época, mas lembro que pegava o papel e caneta, escrevia alguma coisa, também desenhava. eu voltei para o rio e no início tudo era muito solitário, gosto muito de futebol e ali comecei a escrever resenhas dos jogos, cheguei a fazer um pequeno jornal esportivo, lembro que gostaria de fazer jornalismo, mais para frente comecei com os poemas, lá pelos meus 15 anos eu me apaixonei pelos poemas de vinicius de moraes "Para viver um grande amor",  guardei aquilo pois era muito bonito, depois comecei a escrever os meus e fui indo, cheguei até fazer zines! Tenho algumas coisas guardadas, engraçado quando pego e releio, tudo mudou muito...E assim foi, até hoje escrevendo e agora com voos maiores.



borati - Quanto ao amor, você costuma escrever muito sobre isso em seu blog, twitter, mas tudo de uma forma diferente, não aquele amor tão romântico ou de final feliz. Vou dar uma daquelas pessoas que querem
saber do seu estado nos escritos, tem coisas ali que viveu, vive?

r.b.- Você é um brincalhão! Pois bem, irei dizer isso só uma vez porque acho que confio na sua pessoa...Algumas coisas eu vivi sim, mas a grande maioria não, gosto de escrever coisas que não senti, que possa vir também a acontecer. Não acho que escrevo sobre o amor em si, acho as consequências que aquele sentimento sem nome tem, a paixão, a relação entre as pessoas, tudo isso me interessa, o amor também. Escrever é libertador e no blog não tinha como ser diferente, me faz bem, seja assim ou assado...


borati- A forma como escreve está cada vez mais mínimo, como isso surgiu?


r.b. - Dos mínimos! Isso é bem engraçado e outro dia me peguei pensando no ônibus...Antigamente eu escrevia poemas grandes, mas nunca fui de rima, não me dava com eles, até hoje acho uma coisa um tanto cafona, eu não gosto. A métrica, aquela coisa certinha, bonitinha, "inha" não me apetece também, gosto da desconstrução, do escrito sem rima, da livre interpretação, enfim...Mas isso de escrever em poucas linhas, seja poema ou conto vem através das minhas influências, desse mundo também tão corrido que hoje é possível formular uma ideia em 140 caracteres,enfim...Gosto do tiro curto, certeiro. Isso tudo me fez levar
a ter um gosto por escrever desse jeito, eu sempre falo que as pequenas coisas são as mais importantes, é bem por aí.

borati - Fale- me de seus autores favoritos...

r.b.- Ah, meus autores favoritos...São tantos, mas gosto muito das mulheres, elas mandam nesse mundo: Clarice, Hilda Hilst, Ana Cristina Cesar, Alice Ruiz, Alejandra Pizarnik, Juana Bignozzi...Gosto muito de
literatura argentina, além dessas duas últimas vai aí Cortazar,Borges, rapazeada da pesada também...Tem tanta gente boa que também entra no bolo dos favoritos como Caio Fernando Abreu, Garcia Marquez, Leminski, Dalton Trevisan, Rubem Fonseca, Campos de Carvalho, Quintana, ihhhh, tanta gente que gosto e
que me influencia de uma forma ou de outra...Essa coisa de ler livros faz um bem danado, só digo isso.


borati - E atualmente, tem algo que gosta?


r.b.- Ah, tem gente muito boa no pedaço sim! Garimpando os blogs vai achar gente comendo a letra e vomitando com uma força e ao mesmo tempo doçura que acho magistral. Há também uma galera boa que é nota dez, seus escritos em blogs e livros são ótimos, recomendo bem, temos aí o Carpinejar, a Rita Apoena, Alice Sant´anna e por aí vai....


borati - Além dessa tentativa de escritor, você tem outras tentativas mais, né?


r.b. - Muito bem colocada essa coisa de tentativa, mas prefiro dizer que são voos, mergulhos...Mas que seja! Pois é, tenho uma tentativa que fui bem fundo, sou formado em cinema, faço uns trabalhos aqui, ali, meu primeiro curta eu fiz ano passado, agora estou para filmar outro, trabalhei há pouco no curta de um amigo meu, que não se formou comigo, muito menos fez faculdade de cinema, mas saca pra caramba, mais até que muitos que pegaram o canudo comigo na faculdade. As coisas estão indo, tem umas tentativas de coisas além do blog, vamos ver o que rola. Algumas brincadeiras deram certo, que não chamaria de tentativa, como é o caso das fotos que tiro, mas foi muito, muito legal participar de uma exposição em que aquelas fotos esquisitas que eu tiro foram mostradas, valeu muito. A vida é assim, baseadas em mergulhos, alguns deles conseguimos chegar lá no fundo com direito a baús repletos de riquezas, outros caímos de cabeça sem chegar a lugar algum, apenas aquele vazio. Tentar, mergulhar, enfim, seja o termo que for, o negócio é fazer independente do for rolar, pois só assim temos um sentido de viver. 


borati - Agora a última pergunta: foi bom para você?


r.b.- Está sendo! Gostaria de dizer que tudo isso além de ser uma boa brincadeira, tem como intuito o que respondi mais lá em cima, das pessoas me conhecerem um pouco mais e também de me conhecer, achei um excerício ótimo, super recomendável. Me surpreendi até com algumas respostas. Antes de mais nada, gostaria de agradecer a todas as pessoas que neste blog passam, comentam, dão espiada, criticam, entram em contato, enfim, isso é hiper importante não só para mim, mas também com cada escrito que deixo, eles se tornam vivos quando alguém olha, pensa, sente, comenta, eles acabam fazendo parte não só do meu mundo mas de tantas outras que passaram e ainda irão passar. Obrigado!

7 comentários:

t. disse...

autoentrevista é uma das coisas mais divertidas e esclarecedoras que há.

Clara Moriá disse...

ai, que divertido! parabéns pelo aniversário, borati! nossas datas são quase iguais, fiz aniversário ontem, ó! haha

Camila P. disse...

hahaha sempre, sempre inusitado!
obrigada a ti, por todos os posts de tirar o fôlego.. ;)

Raíssa Christini disse...

Adorei a teoria do mergulho.
Vou pegar pra mim.

lais m disse...

parabéns pelo ano de blog roberto! que venham muitos outros.

Tavares Barcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tavares Barcelos disse...

Comecei meu blog agora e estou copiando sua idéia da entrevista...Copio também seu link lá...Espero que não se importe!-Mas se importar,me avise sim?-
Te agradeço
na verdade não posso
agradeceria
se pudesse
o gostoso deter visto
suas palavras
passarem pela tela pelo meu computador.
Beijo grande e parabéns!!