18/06/2010

exasperar.

e tantas perdas que se vão
e tanto vão que se perde
exaspera
e tantos sonhos aspirados
e tanto aspirar sem aspirador
exaspera
e tanta noite sem breu
e tanto frio lá fora
exaspera
e tanto
exasperar

5 comentários:

Gabi. Amarello disse...

tão exasperada-mente lindo

Wander Shirukaya disse...

Vc tm amanha msm.

Com Ou Sem Senso disse...

Com licença, homem.

Bom vê-lo num lugar diferente do boteco literário.

Sem exaperação nem trocadilhos (também!), passarei também por aqui de quando em vez.

Abraço.

Com Ou Sem Senso disse...

ExaSperação me trouxe de volta.

Abraço

Zerriel dos Santos disse...

Seu poema é bastante parecido com o que busco.
Gostei muito!