11/08/2010

Noite de Sábado*


Atendeu ao telefone, dez da noite de uma sexta feira, era seu amigo de velha data explicando a maravilha que é Casablanca, ele viu pela primeira vez e ficou maravilhado, antes só via filmes bobos ou aqueles com super efeitos dos grandes estúdios, oras, mas Casablanca também era de grande estúdio, era Hollywood, é um clássico, respondia o questionamento quase aos prantos, emoção essa, ele só ter tido quando viu a cerimônia que seu irmãozinho foi circuncidado, achou triste seu amigo ligar naquele momento para falar coisas dignas de vergonha alheia.

Uma hora depois...

Foi aquela menina, ele tinha muito interesse, mas quando descobriu que ela lia revistas das celebridades que posam ridiculamente e com um ar de quem é quase uma estátua grega, ele quase vomitou de tanto nojo daquilo tudo, pois detesta esse tipo de masoquismo, segundo ele. Chegou a conclusão que seu interesse era pelo belo par de seios da moça, somente isso.

Uma hora depois, após tentar de todas as formas dizer que não queria mais falar no telefone....

Liga sua irmã de 15 anos, a menina que só tem ele como confidente leal e que deixava ela encher a cara nas boates em que a levava, já que a mesma tem aparência de uma mulher, assim passando batida nas portarias das boates. Aos prantos, porque bebeu muito e teve um apagão, não se lembra de nada, numa festinha dessas com amiguinhos mais velhos que ela tem, ele disse que iria levar para fazer exames e só iria para festas juntos, já que dizia sempre para sua pequena irmã não confiar em ninguém, nem em Deus. Claro que tudo isso assustou muito a menina.

Duas horas depois...

Quando após tantas conversas diferentes e iguais, que ele dizia ter ouvido trinta anos antes de seu nascimento, pegou a última cerveja e o último cigarro. Pronto tudo estava em paz, não ia mais sair do seu canto e se sentia tão bem, quando....


5 minutos depois...

Ligam para seu celular que tanto detesta, dizia ele que aquilo é uma forma grotesca de perseguição, ainda ia mais além, que só servia para chatear e era fato, ligaram de número desconhecido, era um rapaz dizendo que sua irmã foi seqüestrada, ele riu e disse que aquela piada ele já conhecia.

4 minutos depois....

Desligou o celular, o telefone de casa e foi dormir antes disso ele falou para si:

É eu sei, as pessoas tem suas limitações.


* escrito nos idos de 2007/08, encontrado na "gaveta".

2 comentários:

Com Ou Sem Senso disse...

Gostei do ritmo.

Abraço e parabéns por ter encontrado um tesouro na "gaveta".

Carolina Veríssimo disse...

o título poderia ser "conjecturas de um moço caseiro".