04/11/2010

tinta óleo.

 mesmo que seja egoísta, é tão raso explicar qualquer coisa que eu sinta por você, mas vamos combinar o seguinte: quando encontrarmos nossas metades, seremos inteiramente nós dois, bem eternos, ok, isso tudo é uma grande alegoria. está tudo bem, continuo então outro dia para você sonhar um pouco mais com nossos mergulhos, aqueles de uma tensão delicada, quase nuvem em meio ao céu azul que sou eu. prometo não esperar sentado, afinal o relógio anda, te prometo sem adeus e sim "até logo".

7 comentários:

Fer disse...

entre mergulhos.

Mayara Almeida disse...

Foi demais ler isso para o que tem dentro de mim. Mas foi bom.

M. Cohim disse...

lindo também o que encontrei aqui!
muito sutil.

e, obrigada pelo comentário!

Sabiana M. disse...

que lindo!
a espera é bonita quando se sabe que o que está a acaminho também é.

bjus

Isadora P. disse...

Bonito e honesto.

Ah, o email será respondido em breve. ;)

E só para não deixar em branco, já que eu vi agora o penúltimo post... Feliz aniversário atrasado!

bjs

Paula Sant' Anna disse...

Gostei muito do texto. Lírico e vivo.
Ele é tão simples que é difícil dizer algo além da simplicidade.
Aliás, ele é tão simples que é melhor não dizer algo além da simplicidade.
Lindinho, sim, no diminutivo.

Canteiro Pessoal disse...

Roberto, irresistível! Sinto dança, embrenho profundo e docibilidade nas notas.

Abraços

Priscila Cáliga