11/04/2011

uma noite de sexta


 eu não sou piedoso
eu nunca poderei ser piedoso

(piva)




cai a noite
é sexta
os carros refugiam
para destinos incertos
pessoas procurando abismos
e me encontro
deslizando
no meio da escuridão
mergulhado em desesperos
calado
deixando calafrios
contar a história
do terror que é minha vida
espero você, meu amor
minha doce morte
meu coração mais gelado
para cantar
no meio desse deserto
de nós dois
me leve
entre espinhos
repletos de orgasmos
para um último
suspiro.

4 comentários:

Mayara Almeida disse...

E isso surpreendentemente isso é um pedido! Bela pedida.

Érica Araújo disse...

Lindíssima declaração de amor!

Isadora P. disse...

Lindo.

esse é o espírito. de todas as sextas.

Farmácia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.