27/05/2011

porque não uso guarda-chuva.

eu vivo sob lágrimas que sempre tento escapar. não uso guarda-chuva por mera falta de coordenação, mas no fundo não vejo o porque me abrigar num lugar seguro, já que meus caminhos são feitos de forma errada. vivo em corda bamba, dançando cinicamente com a sorte, com o perigo e bala perdida de amor mordido me acertando. não uso guarda-chuva e quero ter contato com cada pingo de lágrima, porque sou humano, sou avesso, sou errante, sou principalmente eu no meio de uma metrópole que não sabe da minha existência.

8 comentários:

JoneGuimaraes disse...

Melhor andar molhado do que parar enxuto.

devaneiosviscerais disse...

Muito legal, cara. Adorei o texto, muito bom mesmo.
=)

Vanessa Santos disse...

toda vez q te leio me arrepio!Sempre incrivel! esse contato com as lagrimas é um contato con nós mesmos.Isso é essencial.È o q nos torna mais humanos.

Donate. disse...

Eu tava com saudade dessas ondas que quase me afogam.

Ana P.

Taciana dos Anjos disse...

"vivo em corda bamba, dançando cinicamente com a sorte, com o perigo e bala perdida de amor mordido me acertando."
muito bom. nao usar o guarda chuva eh esquecer as ideias convencionais, escolher viver na corda bamba eh uma ideologia que te separa dos demais!

gosto muito dos seus escritos!

boa semana!

beijoss

Volpe. disse...

Este vamos mergulhar? não poderia ser mais propício. Este texto nos convida a mergulhar em nós mesmos, e fazes parecer tão simples esta tarefa mui árdua.


See ya Mr. Borati.

Mayara Almeida disse...

Esse tá parecendo chocolate amargo, e estou sim dizendo que achei doce!
Ficou diferente, sincero.
Adorei, mesmo.

Lady Madonna disse...

Desabafo lírico, envolvente.