05/11/2009

batida(s)

aqui há sempre um coração que bate. as vezes ferido por uma bala de grande ódio, outras vezes por simplesmente uma maldade que toma conta da grande maioria dos seres. de qualquer forma continua a bater, intensamente, bem largo e alto, as vezes até em batidas que não acompanham o ritmo de quem encosta nele. é um coração velho, mas bate sempre nas badaladas da madrugada quente de uma noite primaveril.

Um comentário:

Nat Kleinsorgen. disse...

Bate, infiel e infelizmente. Bate, e parece zombar de mim. Bate, e muitas vezes tamboreia. Bate, depois perde o tom e desembesta a errar. Perdido, sozinho e descuidadoso coração pelas madrugadas quentes das malditas noites primaveris.