30/11/2009

tudo que digo a seu respeito é completamente irreversível, seus tapas já não desferem marcas profundas e cheias de vergonha, seus gritos não invadem meus ouvidos e minha memória é falha quando lembro de seu nome. pego o lenço que um dia me deu, limpo as prateleiras, pó, muito pó para mostrar que não eram só dores e sim um tempo que foi muito perdido. meu amor, nós perdemos muito tempo. aqui deixo escrito "quem sabe" em um pequeno bilhete que escondi em sua gaveta.

Um comentário:

Nat Kleinsorgen. disse...

Por mais que você tente fugir, parece que sou algo que já te pertence à alma. Pouco importa seus versos sobre o que já deixou de lembrar, não é de mim que eles falam. Falam de você e da sua vontade de esquecer - é ela que te faz lembrar mais.