24/06/2010

morreu abraçada com o vento
desmarca
faca amolada emperrada no peito
marca
in-can-sa-vel-men-te
mata!

5 comentários:

Reinaldo R. disse...

Mata; pra dar sentido.

Sr. Reticente disse...

Gosto da sua poesia.
Da sua falta de rima.
Das palavras e dos espaços entre elas!
É bom passar por aqui. Alimenta!

Bom fim de semana!

Abraço!

Letícia Honório disse...

Dessas marcas...
Eu conheço bem.

Marco de Moraes disse...

Faca enterrada no peito...

Saída do sofrer, desistência, ou existência sem jeito?

disse...

esse 'in-can-sa-vel-men-te' lembra Drummond...
eu gosto daqui, mas às vezes nem tenho palavras pra comentar, sinto que você já falou tudo!