23/11/2010

beatriz

não é falta de poética que a aflinge
é sua perseverança pelo errado
assim caminha beatriz
autoflagelando ou auto-flagelando
não importa
continua maltratando seu coração
no escombro de seu cenário
assim é beatriz
com seu sorriso errado
de quem chorou até sangrar
leti it be...
atriz.

12 comentários:

Camila P. disse...

ahahahah adorei!

Paula Sant' Anna disse...

lindo.
na medida.

Juliana Lima disse...

Lindo como sempre e Beatriz me lembrou uma moça que Oswaldo Montenegro canta em "Bandolins"...
O vídeo tá lá no meu blog, que ultimamente anda sem desvarios...
=)

beijos

Lívia Inácio disse...

Pobre Beatriz!

Mayara Almeida disse...

Roberto, venho aqui com gosto pois acho mais do que boas as coisas que escreve. Desta forma, me sinto até lisonjeada que você comente as vezes no meu blog.

Adorei "beatriz". Quando terminei de ler, quis voltar a primeira frase para tentar interpretar beatriz...

Até qualquer dia.

Beatriz Helena TDM Fontes Baldan disse...

perfeito :)

Benfazeja Comunidade Literária disse...

Olá, Roberto.

De uma forma ou de outra, esse 'auto-flagelo' sempre nos ocorre... não só quando 'falta a poética', não é mesmo?

Belo poema.

E estamos atualizando a seção de propaganda !Livre! do site! Caso queira colocar o seu banner em destaque, basta 'colar' o nosso em seu blog.


Detalhes, neste link.

Abraços e esperamos visita!

Wellington Souza
Coordenador

Frederico Latrão disse...

Sutil ode à paixão de Dante.

Um forte amplexo,
F.L.

Paula Sant' Anna disse...

o que dizer? mui belo.

Bruna Savaget disse...

atrizes sempre choram...e adoram chorar.

P.S... disse...

no ponto, esse.

Ana disse...

No limiar da minha compreensão.
Um poema que não está em potência.
Pois já é o ato em si.
E colocou em palavras o que jamais outra pessoa poderia ter pensado em traduzir.

Prazer,
Beatriz.