23/02/2011

do outro lado (te chamo em silêncio)

um amor trancado
duas chaves perdidas
na rua
de nossos vazios
sua porta está 'encostada'
amendrotada
por novas visitas
daquelas
que arde seu peito.

lá estou eu
do outro lado
com minha porta
discretamente entreaberta
deixando entrar
quem tem passos de gato
e coração palpitando intensidade.

lá estou eu
esperando sua visita
enquanto isso
leio o livro de nosso dias.

10 comentários:

Mayara Almeida disse...

Tem ar de esperança.

Érica Araújo disse...

o mesmo desafiador e erótico de outrora, também aguarda atrás da porta.

Marco de Moraes disse...

Porta entreaberta é convite para poesia!

Ju Blasina disse...

Cara... que maravilha!

Fernanda Mendonça disse...

Um convite ao erotismo, adorei... poesia muito boa.
parabéns

Fernanda Mendonça disse...

Há! eu me sentiria lisonjeada se vc desse sua opinião sincera aos meus textos.

http://caotizando.blogspot.com/

Bjos.

- Mateus Bernstein disse...

show de poema, doutor roberto.

Thaiany Almeida disse...

Comentar aqui se tornou um hábito gostoso, nem preciso dizer seus textos são inspiradores, belíssimas palavras, esperança, calma, paciencia, espera.. simplesmente belissimo.

César Dias. disse...

É Roberto mais uma obra prima.Parabéns.
Acho você genial.
Abraço.

Alice disse...

Enquanto isso não faço outra coisa que não seja, esperar.

Adorei Roberto!